ANGELA CADA VEZ MELHOR

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Sou psicóloga há 30 anos ,nas áreas de RH, Psicoterapia , Escolar e Regressão. Também sou professora . Sou questionadora... inquieta... um vulcão (às vezes adormecido)... sujeita a chuvas e trovoadas . Busco,incessantemente, continuar voando porém com os pés no chão..... O que mais amo fazer e faço com muito prazer é VIVER!!!!! Estou agora incrementando meus dons artísticos e criando muita coisa linda!!! Vendo tudo!!!!! Se quiser saber mais... é só perguntar!

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

A dignidade tem um preço muito alto (3)


A dignidade não se vende, nem se perde nem se presenteia. Porque uma derrota a tempo sempre será mais digna do que uma vitória se conseguirmos sair “inteiros” dessa batalha, com o queixo erguido, o coração inteiro e uma tristeza que vai acabar renovando as esperanças.
As pessoas costumam pensar que não há nada pior do que ser abandonado por alguém que amamos. Não é verdade, o mais destrutivo é se perder amando quem não nos ama.
No amor saudável e digno não se encaixam martírios ou renúncias, aquelas em que dizemos que vale tudo só para estarmos ao lado do ser amado. Não adianta nos posicionamos à sua sombra, onde já não irão mais restar dias ensolarados para o nosso coração nem estímulos para as nossas esperanças.
Por isso, e para evitar cair nestas correntes emocionais convulsivas, vale a pena refletir sobre as seguintes questões, que sem dúvida podem nos ajudar:
§  Nos relacionamentos amorosos os sacrifícios têm limites. Não somos obrigados a responder a todos os problemas do nosso parceiro/a, a oferecer ar sempre que ele/a quiser respirar, nem a apagar a nossa luz para que a dele/a brilhe. Lembre-se de onde está o verdadeiro limite: na sua dignidade.
§  O  amor se sente, se toca e se cria todos os dias. Se não percebermos nada disto, pedir não vai adiantar nada, assim como não adianta esperarmos sentados que aconteça um milagre que não tem sentido. Assumir que já não somos amados é um ato de valentia que vai evitar que fiquemos à deriva em situações delicadas e destrutivas.
§  O amor jamais deverá ser cego. Por muito que se defenda esta ideia, é necessário lembrar que sempre será melhor se oferecer a alguém com os olhos bem abertos, o coração entusiasmado e com a dignidade muito alta. Só então seremos autênticos arquitetos destas relações dignas que valem a pena, onde pode-se respeitar e ser respeitado, criar todos os dias um ambiente saudável onde nem “tudo vale”, sem jogos de poder nem sacrifícios irracionais.

  • A dignidade é e será sempre o reconhecimento de que somos merecedores de coisas melhores, porque sempre será melhor uma solidão digna do que uma vida de carências, do que relacionamentos incompletos que nos fazem acreditar que somos atores secundários no teatro da nossa existência. 
  • Não permita isso, 
  • Não perca a sua dignidade por ninguém.


Internet

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

O orgulho e a dignidade do amor próprio (2)


Muitas pessoas costumam dizer que o ego alimenta o orgulho e o espírito alimenta a dignidade. De qualquer forma, estas duas dimensões psicológicas são duas habitantes cotidianas das complexas ilhas de relacionamentos amorosos, que às vezes costumam ser confundidas.
O orgulho, por exemplo, é um inimigo bem conhecido que costuma ser associado ao amor próprio. No entanto, ele vai um passo além, pois o orgulho é um arquiteto especializado em levantar muros e cercas nos nossos relacionamentos, em decorar cada detalhe com arrogância e em encontrar o vitimismo em cada palavra. Apesar de todos estes atos destrutivos, o que realmente está mascarado é uma baixa autoestima.

Enquanto isso, a dignidade é justamente o contrário. Ela age o tempo todo a ouvir a voz do nosso “eu” para fortalecer o ser humano mais belo, o respeito por nós mesmos sem esquecer o respeito pelos outros. Aqui o conceito do amor próprio adquire o seu pleno significado, pois se alimenta dele para se proteger sem prejudicar os outros: sem causar efeitos “colaterais”, mas validando em todos os momentos a própria autoestima.

domingo, 30 de outubro de 2016

O AMOR TEM UM LIMITE QUE SE CHAMA DIGNIDADE (1 )

O amor sempre terá um limite: a dignidade. Porque o respeito que cada um de nós temos por nós mesmos tem um preço muito alto e jamais irá aceitar cortes para saciar um amor que não é suficiente, que machuca e nos deixa vulneráveis.
Dizia Pablo Neruda que o amor é curto e o esquecimento é muito longo. Mas no entremeio sempre há aquela “luz de vagalume” que se acende de forma natural nas noites escuras para nos indicar onde é o limite, para nos lembrar que é melhor um esquecimento longo do que uma grande tormenta na qual acabamos vendendo a nossa dignidade.
Às vezes o melhor remédio é esquecer o que se sente para recordar o que valemos. Porque a dignidade não deve ser perdida por ninguém, porque o amor não se roga nem se suplica, e embora nunca se deva perder um amor por orgulho, também não se deve perder a dignidade por amor.
Acredite ou não, a dignidade é esse elo frágil e delicado que tantas vezes comprometemos, que pode romper e desfazer as ligações dos nossos relacionamentos amorosos. Há muitas ocasiões em que cruzamos essa fronteira sem querer até nos deixarmos levar por alguns extremos nos quais nossos limites morais tornam-se fracos, pensamos que por amor tudo vale a pena e que qualquer renúncia é pouca.
Porque o amor e a dignidade são duas correntes em um oceano convulso, no qual até mesmo o marinheiro mais experiente pode perder o rumo...

Internet

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Mudanças..


























Especialmente por ser MUDAR = CRESCER...
Dói, incomoda... mas no final é gratificante....

Postura


























Se prestássemos mais atenção em tudo o que fazemos, dizemos...
certamente iríamos entender o peso de nossos atos...falas...
Entender que viver é fazer escolhas...que tal escolher ouvir mais...
se colocar no lugar do outro...ter mais paciência...respeito mútuo...
SE AMAR MAIS ...

Cuidado...


domingo, 5 de junho de 2016

Arquivos da riqueza


17 modos de pensar e agir que distinguem os ricos de outras pessoas
Nº 1
As pessoas ricas acreditam na seguinte idéia:
“Eu crio a minha própria vida.”
As pessoas de mentalidade pobre acreditam na seguinte idéia: “Na minha vida, as coisas acontecem.”
Nº 2
As pessoas ricas entram no jogo do dinheiro para ganhar.
As pessoas de mentalidade pobre entram no jogo do dinheiro para não perder.
Nº 3
As pessoas ricas assumem o compromisso de serem ricas.
As pessoas de mentalidade pobre gostariam de ser ricas.
Nº 4
As pessoas ricas pensam grande.
As pessoas de mentalidade pobre pensam pequeno.
Nº 5
As pessoas ricas focalizam oportunidades.
As pessoas de mentalidade pobre focalizam obstáculos.
Nº 6
As pessoas ricas admiram outros indivíduos ricos e bem-sucedidos.
As pessoas de mentalidade pobre guardam ressentimento de quem é rico e bem-sucedido.
Nº 7
As pessoas ricas buscam a companhia de indivíduos positivos e bem-sucedidos.
As pessoas de mentalidade pobre buscam a companhia de indivíduos negativos e fracassados.
Nº 8
As pessoas ricas gostam de se promover.
As pessoas de mentalidade pobre não apreciam vendas nem autopromoção.
Nº 9
As pessoas ricas são maiores do que os seus problemas.
As pessoas de mentalidade pobre são menores do que os seus problemas.
Nº 10
As pessoas ricas são excelentes recebedoras.
As pessoas de mentalidade pobre são péssimas recebedoras.
Nº 11
As pessoas ricas preferem ser remuneradas por seus resultados.
As pessoas de mentalidade pobre preferem ser remuneradas pelo tempo que despendem.
Nº 12
As pessoas ricas pensam: “Posso ter as duas coisas.”
As pessoas de mentalidade pobre pensam: “Posso ter uma coisa ou outra.”
Nº 13
As pessoas ricas focalizam o seu patrimônio líquido.
As pessoas de mentalidade pobre focalizam o seu rendimento mensal.
Nº 14
As pessoas ricas administram bem o seu dinheiro.
As pessoas de mentalidade pobre administram mal o seu dinheiro.
Nº 15
As pessoas ricas põem o seu dinheiro para dar duro para elas.
As pessoas de mentalidade pobre dão duro pelo seu dinheiro.
Nº 16
As pessoas ricas agem apesar do medo.
As pessoas de mentalidade pobre deixam-se paralisar pelo medo.
Nº 17
As pessoas ricas aprendem e se aprimoram o tempo todo.
As pessoas de mentalidade pobre acreditam que já sabem tudo.

Do livro "Os Segredos da Mente Milionária" - T. Harv Eker


Ame sua perdas


Certa vez perdi o homem da minha vida. Confesso, com todo o drama que exige uma boa fossa, que meu mundo caiu. Chorei vinte e quatro horas seguidas, levantei e fiz o que tinha que ser feito: seguir em frente. Claro, que por algum tempo não fui feliz. Mas percebi, como numa tragada de inspiração, que o homem da minha vida era completamente substituível. De lá pra cá, perdi três homens da minha vida e continuo de pé – e sorrindo, se quer saber.
Perdi também um grande amigo. Ele não morreu para o mundo, mas pra mim, sim. Descobri uma traição daquelas que não se faz com melhores amigos. Encontrei muitos outros melhores amigos – alguns me traíram, alguns me consolaram, e todos foram embora. E outros sempre chegaram.
Noutro episódio triste da vida, perdi dois empregos – que tinha concomitantemente – na mesma semana. A crise veio e não havia mais como pagar aos colunistas. “Ok.” Chorei por umas horas, refiz o orçamento e me ajustei, novamente, ao caos da vida como pude. Encontrei outros três empregos nos meses seguintes. Alguns me fizeram feliz, outros não, e a todos perdi. E outros sempre chegaram.
A única certeza que temos na vida é de que, vez ou outra, perderemos. As pessoas vão embora, as crises vão chegar, nossos amigos vão nos trair. As perdas são essa realidade cruel que precisamos aceitar – e tirar proveito, sempre que possível.
O barato disso tudo é que, sempre que perdemos algo importante, temos a oportunidade de enxergar com uma clareza que só a tristeza proporciona as tantas outras coisas importantes que ainda temos. E de perceber, com a perspicácia que só as crises nos trazem, as outras tantas coisas importantes que chegarão. As perdas têm a indispensável função de nos fazer renascer. Cuidar do que ainda temos e lutar pelo que precisamos.

Não tenho piedade dos bons perdedores – mas aqueles que ganham sempre, coitados, não têm a chance de enxergarem-se tais quais são: humanos, errantes, passíveis de terríveis perdas e, sobretudo, capazes de reconstruir qualquer coisa que seja. E de deixar partir o que não lhes pertence.

Abraçando...




"A duração média de um abraço entre duas pessoas é de 3 segundos. 
Mas os pesquisadores descobriram algo fantástico. 
Quando um abraço dura 20 segundos, há um efeito terapêutico sobre o corpo e mente. 
A razão é que um abraço sincero produz um hormônio chamado "oxitocina", também conhecido como o hormônio do amor. 
Esta substância tem muitos benefícios na nossa saúde física e mental, ajuda-nos, entre outras coisas, para relaxar, para se sentir seguro e acalmar nossos medos e ansiedade.
Este maravilhoso calmante é oferecido de forma gratuita cada vez que temos uma pessoa em nossos braços."

quinta-feira, 17 de março de 2016

Janelas



































Observou como muitas vezes ficamos reclamando da vida????
É um hábito...quase incontrolável de muita gente.
Seria bom  começar a derrubar algumas paredes, muitas vezes invisíveis , que insistimos em conservar... são nossos " bodes expiatórios"...
Abrir janela...é muito melhor!!!!!!

Observar...


terça-feira, 8 de março de 2016

Se amar para ser amado(a)

QUANDO O CUIDADO QUE VOCÊ TEM COM O OUTRO FAZ VOCÊ SE DESCUIDAR, É HORA DE DAR  UMA PAUSA...

QUANDO O AMOR QUE VOCÊ DEDICA A ALGUÉM TORNA O SEU AMOR PRÓPRIO ALGO MENOR, É TEMPO DE REPENSAR...

PODE PARECER EGOÍSTA...E QUE SEJA!

NÃO DEVEMOS ...NEM PODEMOS RENEGAR A NOSSA PRÓPRIA VIDA PARA TORNAR MELHOR A DE OUTRA PESSOA...

                                                                                                                             
                                                                                                                               Autor desconhecido...

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

ESTRATÉGIAS PARA MELHORIAS EM 2016


1. Faça o que é certo, não o que é fácil. O nome disso é Ética.

2. Para realizar coisas grandes, comece pequeno. O nome disso é Planejamento.

3. Aprenda a dizer 'não'. O nome disso é Foco.

4. Parou de ventar? Comece a remar. O nome disso é Garra.

5. Não tenha medo de errar, nem de rir dos seus erros. O nome disso é Criatividade.

6. Sua melhor desculpa não pode ser mais forte que seu desejo. O nome disso é Vontade.

7. Não basta iniciativa. Também é preciso ter 'acabativa'. O nome disso é Efetividade.

8. Se você acha que o tempo voa, trate de ser o piloto. O nome disso é Produtividade.

9. Desafie-se um pouco mais a cada dia. O nome disso é Superação.

10. Pra todo 'game over', existe um 'play again'. O nome disso é Vida.

Que venham as batalhas de 2016!!

Texto de: Eduardo Zugaib - escritor e palestrante 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Os sete sinais da maturidade emocional

“Maturidade emocional é perceber que não tenho necessidade de culpar ou julgar ninguém pelo que acontece comigo”

Anthony de Mello

Normalmente, a maturidade é associada à idade e aos anos de experiência de vida cronológica. No entanto, quando se trata de maturidade emocional, a idade pode ter pouco a ver com isso. Muitas vezes a maturidade física chega antes da maturidade emocional.
Amadurecer significa entender que não existe amor maior do que o amor próprio, aprender e aceitar o que a vida nos apresenta e seguir adiante.
A maturidade emocional não surge do nada; exige trabalho, esforço, boa vontade e o desejo de olhar para dentro e se conhecer melhor, com a cabeça e o coração em perfeita sintonia. Amadurecer significa encarar a realidade como ela é, muitas vezes bem mais dolorosa do que gostaríamos.
Aqui estão sete características das pessoas emocionalmente maduras.

1- Saber dizer adeus é maturidade emocional

A maioria de nós sente muito medo, principalmente quando se trata de soltar as amarras e deixar a vida fluir.
Pensar que o passado foi melhor é muito doloroso; nos impede de soltar e deixar ir.
As pessoas emocionalmente maduras sabem que a vida fica muito melhor quando é vivida em liberdade. Então, deixam ir o que não lhes pertence, porque entendem que ficar preso ao passado nos impede de fechar ciclos e curar nossas feridas emocionais.

2- Conseguem olhar para o seu passado emocional sem dor

Limpar a dor do nosso passado é absolutamente necessário para avançarmos em nosso caminho emocional. As ervas daninhas crescem rapidamente; se não limparmos nosso caminho, não veremos o que está próximo.
As pessoas emocionalmente maduras sabem da importância de viver no presente, superando e aceitando o que passou. O que aconteceu, já aconteceu; não podemos mudar. Aprenda com os erros e siga em frente.
Se perdermos o contato com o nosso interior, não nos afastamos dele, mas permitimos que o negativo do nosso passado interfira na nossa vida presente. Isso é muito doloroso.
  “É por esse motivo que, quando tivermos aprendido o suficiente sobre a nossa dor, perderemos o medo de olhar para dentro e curaremos nosso passado emocional para avançar mais um passo na vida”.

3- Têm consciência do que pensam e sabem

A maturidade emocional nos ajuda a entender melhor nossos próprios sentimentos e os dos demais. As pessoas emocionalmente maduras se esforçam para escrever e pensar sobre as suas opiniões ou sobre como se sentem.
“Amadurecer é ter cuidado com o que diz, respeitar o que ouve e meditar sobre o que pensa”.
A clareza mental das pessoas maduras contrasta com a preguiça e o caos mental das pessoas imaturas. Portanto, a maturidade emocional ajuda a resolver problemas cotidianos de forma eficaz.

4- Não reclamam de nada

Parar de reclamar é a melhor maneira de promover mudanças.
As queixas podem nos aprisionar em labirintos sem saída. As pessoas emocionalmente maduras já aprenderam que somos o que pensamos.  Se você agir mais e reclamar menos, significa que está crescendo emocionalmente.
Quer viver infeliz? Reclame de tudo e de todos.

5- Conseguem ser empáticas, sem se deixar influenciar pelas emoções alheias

As pessoas emocionalmente maduras têm respeito por si mesmas e pelos outros. Têm habilidade para se relacionar da melhor forma possível com os demais; sabem ouvir, falar e trocar informações. Aprenderam a olhar de forma generosa para o outro; todos nós temos valores diferentes, mas queremos ser aceitos e felizes.

6- Não se castigam pelos seus erros

Aprendemos com os nossos erros; falhar nos permite enxergar os caminhos que não devemos seguir.
As pessoas maduras não se punem por possuírem limitações, simplesmente as aceitam e tentam melhorar. Sabem que nem sempre tudo acontece como queremos, mas cada erro é uma boa oportunidade para o crescimento pessoal.

7- Aprenderam a se abrir emocionalmente

As couraças emocionais pertencem ao passado. É muito importante ter comprometimento, amor, autoconfiança e acreditar nas pessoas. Não seja perfeccionista e nem espere a perfeição dos outros. Esqueça as desavenças e perdoe, inclusive a você mesmo.
“Desfrute do tempo compartilhado da mesma forma que desfruta do tempo sozinho”.

Maturidade emocional é assumir o controle da sua vida, ter sua própria visão de mundo e ambição para a sucesso. Ao desenvolver a maturidade emocional a vida torna-se um prazer, e não uma obrigação.

domingo, 29 de novembro de 2015

Para observar...

Como evitar as pessoas tóxicas que complicam nossa vida
Em nosso dia a dia, podemos cruzar com inúmeras personalidades ciumentas, imaturas, paranoicas, infantis e egoístas. Definitivamente, são o que comumente conhecemos como pessoas tóxicas.
Este tipo de personalidade pode ter muitas particularidades, mas mantém uma característica em comum: não contribui nem gera nada positivo  para um relacionamento amoroso, de amizade, familiar ou de trabalho.

As pessoas tóxicas se caracterizam por destruir qualquer tentativa de criar vínculos saudáveis e respeitosos para ambas as partes. Atraem e facilitam as más vibrações, já que nada as satisfaz. E, o mais importante, tudo lhes incomoda, e elas acabam absorvendo-nos psicologicamente, para que realizemos ações que só podem ser favoráveis a elas.


“Não são as ervas daninhas que afogam uma boa semente,
mas sim a negligência do fazendeiro”
– Confúcio –

O psicólogo A.J.Bernstein autor de “Vampiros Emocionais”, nos adverte que o mais complicado na hora de nos relacionarmos com esse tipo de pessoas é que elas roubam nossa energia sem nos dar um tempo para respirar e sermos conscientes dessa situação.
Bernstein destaca que elas se caracterizam por serem pessoas especialistas em construir relações com alto grau de “absorvência” e, dessa forma, são verdadeiros mestres da arte de intoxicar. Daí vem seu nome.
Devido a isso, acaba sendo difícil identificá-las a primeira vista, sem sermos conscientes de como sua personalidade é complicada, até que, depois de passar um tempo com estas pessoas, acabamos repetindo as mesmas emoções e sensações negativas delas: apatia, esgotamento, frustração e estresse.

Algo comum em nossa sociedade quando falamos desse tipo de pessoas é que, muitas vezes, somos nós mesmos que criamos uma percepção distinta da realidade, negando que sejam “vampiros emocionais”, sobretudo quando se trata de nosso parceiro, amigo ou algum familiar.
Inclusive, quando falamos dessas situações, nós mesmos podemos “nos culpar” por estarmos consentindo, inconscientemente, a situação e pensamos: “é coisa minha…” ou “pode ser minha culpa”; pensamentos que só nos levam a manter e intensificar uma relação tóxica e nada saudável.
Consentir tal mal-estar somente fará com que os demais percam o respeito por você, sabendo que podem se aproveitar de você e abusar de sua confiança.
Diversos estudos sociais, destacando a obra do psicanalista francês Dominique Barbier, “La fabrique de l’homme pervers,” nos facilitam uma explicação científica de porque vivemos como sociedade em um contexto próspero para a expansão e o crescimento deste tipo de personalidade tóxica.
“As personalidades tóxicas também são contagiosas e contribuem para que se generalize uma espécie de paranoia social”, explica Barbier. Por outro lado, a psiquiatra e psicanalista Marie-France Hirigoyen confirmou em uma entrevista ao El Confidencial a teoria social de que “para triunfar na vida é preciso ser um bom manipulador”.
Tudo isso nos leva a utilizar uns aos outros como meros instrumentos que, quando deixam de nos servir para conseguir determinados objetivos pessoais, acabam ignorados.
Porém, para gozar de uma plena qualidade de vida, devemos evitar chegar a esse ponto. Além disso, também é importante ter em conta os seguintes indícios que podem refletir que você se encontra ante um “vampiro emocional” no nível social e psicológico:
1. Apresentam uma elevada capacidade psicológica na hora de detectar os temores e fantasmas das pessoas que escolhem como vítimas. Podem fazer você acreditar que, com eles, tudo é possível e, assim, o manipulam com mais facilidade. Dessa forma,sabem adaptar com perfeição seu comportamento, dependendo da vítima em questão.

2. Podem dar a volta em uma situação com grande habilidade, realizando com perfeição uma falsa vitimização: fazendo você sentir que é você o carrasco e ela/ele é a vítima.
3. São pessoas especialistas em transformar a realidade através de mentiras e empregando uma dupla linguagem. Podem combinar o uso de insultos e adulações amáveis em uma mesma frase. Dessa forma, controlam o discurso e o pensamento do ouvinte.
4. Não respeitam a autonomia dos demais e impõem seus próprios critérios pessoais.
5. Seus princípios pessoais mudam dependendo do objetivo que precisam alcançar.
6. Não costumam sentir sentimento de culpa em nenhum momento.

7. São pessoas com uma grande capacidade de estratégia mental. São pouco criativos, mas constantes na hora de conseguir suas metas e recursos.

8. Costumam apresentar certa incoerência entre o seu comportamento e o que dizem ou verbalizam. Provavelmente, evitam julgamentos e valores altruístas, mas na hora de se colocar em ação, seus gestos são egoístas, pensando apenas em seu interesse pessoal.Não me despedirei sem antes lembrá-los de que, quando nos relacionamos com este tipo de pessoas, é necessário sermos conscientes da importância de enfatizar e tentar entender nosso entorno a todo momento, oferecer amor incondicional, e ter em conta que todos nós somos seres humanos com vidas diferentes e únicas, as quais nos levam a agir de uma forma ou de outra.

A responsabilidade de tentar viver e se sentir de forma saudável e plena consigo mesmo e com o mundo está em suas mãos.

Texto original em espanhol de Paula Díaz.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

A alma X ego

















O equilíbrio é a sabedoria da dosagem adequada...

Nunca se esqueça que o essencial para vivermos está dentro de nós...

É inteligente parar de buscar nos outros e buscar em si mesma a solução de sua vida...
As respostas aos seus questionamentos...

A paz interior é a nossa luz no final do túnel...

Pensando

Costumamos ser escravos de nossos pensamentos...

É a nossa alma voando...
Não somos pássaros para voar...
Somos gente para andar...
Se quiser voar__ voe__ 
Mas com os pés no chão!


Temos a família que precisamos ter... nada é por acaso... paciência...às vezes, o que é defeito pra um é virtude pra outro....

Depois de soltar as palavras não se consegue mais recolher... cuidado!

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Amor peludo...

Como existem muitas formas de amar...

Conheço gente que já passou por isto..

Ter um bichinho de estimação é estar pronto para as mais sinceras e muitas vezes inusitadas  demonstrações de carinho, cuidado e principalmente de amor....

KKKKK....

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Alma...


Como é difícil...
Eu sei...
Sofrido...

Por que será que a nossa mente nos "mente " tanto ...

Escolhas... 
Sempre as escolhas...

REALidade....
eis a questão!

Ser feliz...


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Pensar..










Hora de pensar como você está cuidando de seu relacionamento...

Serve para o homem e mulher...



Camisola esquisita...meião...calcinha furada...rolinho na cabeça...perna de jogador de futebol relaxado...

domingo, 6 de setembro de 2015

MAPA DE INTERFERÊNCIAS EMOCIONAIS EM SEU CORPO

Você já pensou que somos seres completos e tudo o que nos compõe – corpo, mente e espírito – é ligado de tal forma que a deficiência de um pode afetar os demais?
Um grande exemplo desse plano de Deus para a criação é a conclusão da doutora em psicologia Susanne Babbel. Depois de um minucioso estudo, a dra. Babbel concluiu que boa parte das dores crônicas que sentimos não tem nada a ver com doenças graves ou lesões anteriores. Ela acredita que adquirimos a maioria das dores com emoções negativas  – como o estresse – que acabam afetando alguns órgãos.
Viu como a mente é poderosa?
O estudo da psicóloga resultou num "mapa" que mostra como as emoções interferem na saúde. Este post vai mostrar a você esse "mapa" e como você pode tratar e neutralizar os efeitos negativos das emoções

1Dor de cabeça: na maioria das vezes, a dor na cabeça (ou enxaqueca) acontece por causa da pressão do dia a dia, o estresse e a sobrecarga de atividades.
A melhor maneira de resolver este problema é relaxar. Descanse e encontre tempo para o lazer. Vá ao cinema, praia ou leia um bom livre.

2- Dor no pescoço: esta é bastante interessante.
Acredita-se que, quando nos culpamos por determinado acontecimento, geramos uma consciência culpada, causando acúmulo e pressão na área do pescoço.Aprenda a perdoar os outros e a si mesmo(a). Lembre-se que todo mundo pode errar, inclusive você. É importante buscar o lado bom das pessoas e mais do que isso, é questão de saúde.

3- Dor e sensação de peso nos ombros: se o problema é nesta área, e não foi lesão,  pode apostar que há problemas em alguma área da sua vida que ainda não resolveu.... Para resolver, divida tarefas e compartilhe seus problemas com amigos em que pode confiar. Isso pode ajudar a encontrar uma saída.

4- Dor nas costas:  parte superior das costas
Algumas pessoas sentem uma dor crônica nessa área e isso pode ser um sinal de que a pessoa não se sente amada e apoiada.
O amor das pessoas é a cura para qualquer doença emocional. 
Se este é o problema, converse com quem está ao seu redor, família e amigos.

5 – Dor na região lombar
: a parte inferior das costas está relacionada a problemas de finanças. 
São muitas as causas dos problemas econômicos.
Às vezes, eles aparecem por causa do baixo salário, desemprego ou até mesmo gastos  com coisas desnecessárias. Só você sabe o motivo.
O fato é que você precisa ter uma atitude otimista - até mesmo quando a falta de dinheiro parece não ter solução

6- Rigidez nos cotovelos
: deve-se a uma resistência às mudanças
Ela também pode ser interpretada como um medo de que a "vida nos leve".Planeje menos, seja mais ousado e mais espontâneo. 

7-  Dor nas mãos: este é um sinal de que você está com problemas para interagir com as outras pessoas.
O contato é muito importante. Busque se socializar e demonstrar afeto aos seus amigos.

8- Desconforto nos quadris: ocorre pelo medo do futuro, a ansiedade
Se esforce para viver novas aventuras, considerando que o futuro chega de acordo com as atitudes do presente.

9- Dor nos joelhos
: está relacionada aos sentimentos de vaidade e orgulho
O ego muito elevado pode nos impedir de encontrar a qualidade das pessoas.
Lembre-se que somos apenas mais um e precisamos ser humildes.

10– Dor na panturrilha: é causada por sentimentos de inveja e ressentimento
Procure amar e perdoas quem está ao seu redor.

11- Dor nos tornozelos: demonstra que você tem dificuldades em aceitar os prazeres da vida.Procure curtir a natureza, os momentos em família e o sabor das refeições, por exemplo.


12- Pés doloridos: os pés são reflexo das nossas satisfações.Se você tem dores crônicas neles, é sinal de que tem muitas insatisfações.

Recomendamos ser mais otimista, ter fé e desfrutar das grandes maravilhas que Deus nos proporciona


- See more at: http://www.curapelanatureza.com.br/2015/08/saiba-como-suas-emocoes-estao.html#sthash.KCyT5ihu.dpuf