ANGELA CADA VEZ MELHOR

Minha foto
Belo Horizonte, Minas Gerais, Brazil
Sou psicóloga há 32 anos ,nas áreas de RH, Psicoterapia , Escolar e Regressão. Também sou professora . Sou questionadora... inquieta... um vulcão (às vezes adormecido)... sujeita a chuvas e trovoadas . Busco,incessantemente, continuar voando porém com os pés no chão..... O que mais amo fazer e faço com muito prazer é VIVER!!!!! Estou agora incrementando meus dons artísticos e criando muita coisa linda!!! Vendo tudo!!!!! Se quiser saber mais... é só perguntar!

domingo, 25 de dezembro de 2011

Individual...idade

Estranha a forma de cada um...
Estranha forma de ser de cada um...
A individualidade ... o individualismo...
O individual...mente?

Estranha a forma da fala... que fala...e diz?
A fala individual... mente?
Estranha a forma de cada um contar a sua verdade ...
Cada fala tem o peso de suas máscaras...
De sua relação com o mundo...
O que o faz individual...

Estranha a forma da fala individual de cada um... Nela está inclusa a mãe, o pai, irmãos...a época, um olhar, o sim... o não, o trabalho, amigos...inimigos, o amor ...o abandono, sorriso...a lágrima...
Tudo o que faz de cada um único... individual.

Estranha a forma de sermos gente se só conseguimos
ser individuais sendo tão múltiplos... individualmente.

Angela Cifani

Continuando a refletir...



"Às vezes, nossa vida é colocada
de cabeça para baixo...

Para que possamos aprender a viver
de cabeça para cima"

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Desejo de intimidade. Ivan Martins

De vez em quando, muito de vez em quando, eu tenho a impressão de que entendi algo sobre as pessoas que elas mesmas ainda não perceberam. Aconteceu outro dia, no meio de uma conversa banal sobre relacionamentos. Minha interlocutora, muito jovem, reclamava da dificuldade em lidar com os homens depois que eles cruzam uma linha invisível (mas muito real) de desejo.

“Não dá para dizer, simplesmente, que eu curti até ali, quero continuar, mas não tenho vontade de avançar. Eles não entendem”, ela se queixou. “Tem de ser tudo ou nada: ou mando o cara embora ou passo para a próxima etapa, mesmo sem estar com muita vontade.” Às vezes, ela gostaria de ficar nos beijos. Outras vezes, o que ela chamou de “curiosidade” vai mais longe, mas não chega ao ponto de transar. Em outras ocasiões, ela desejaria dizer para o sujeito: “Fica por aqui, me abraça, a gente dorme de conchinha e amanhã voltamos a esse assunto”.
Ela pensa essas coisas, mas não diz. Vai para o tudo ou nada, antecipando que qualquer dos caminhos será insatisfatório.

Embora pareça “conversa de mulher” ou coisa de “gente jovem” (que ainda não descobriu seus próprios limites), a reclamação da moça talvez seja mais universal. Acho que homens e mulheres, jovens e mais velhos, todos são capazes de identificar em si esse sentimento difuso e mal compreendido que a moça expressa - e que eu, por falta de outro nome, chamaria de “desejo de intimidade”.
Ele aparece quando se está tomado de carinho e interesse por alguém, sem que isso, necessariamente, se manifeste como vontade de transar. A pessoa quer se aproximar da outra, beijar, tocar e explorar. É físico, mas tem uma natureza mais afetiva, de aconchego. Pode virar uma transa e, frequentemente, vira - mas não começa assim, e não precisa terminar assim. Às vezes as pessoas não querem que termine, ou não estão prontas para que termine. Se a outra parte insiste demais, azeda. Se a própria pessoa não percebe seus sinais, e avança quando não deveria, também vira um ato forçado, com resultados dolorosos, instantâneos ou posteriores.

Com o “desejo de intimidade” em mente, talvez fique mais fácil entender alguns dos nossos comportamentos – e várias das nossas hesitações.
Tente se lembrar daquela mulher que você levou para jantar na sua casa. Tudo parecia perfeito, mas, na hora em que vocês finalmente aterrissaram no sofá, ela começou a se esquivar. Beijos, sim. Carinhos, sim. Mas, não, ela não iria tirar a roupa. Diante da sua insistência em mudar de marcha e chegar logo à próxima curva, ela saiu da pista: levantou-se, arrumou o vestidinho e foi embora, parecendo mais triste do que indignada. É difícil entender essas coisas. Por que alguém que parecia querer transar muda de ideia? Por que se pode avançar até aqui e a partir daqui não pode mais? Os homens ficam perplexos com isso. Minha teoria é que talvez a moça tivesse apenas “desejo de intimidade” e não exatamente vontade de transar. Queria ficar juntinho, trocar beijos e agarros, mas com a segurança de que não iria passar daquilo - por quaisquer que fossem as suas razões.

Homens também têm dessas contrariedades. É provável que você,  já tenha se achado na situação de não querer ou não conseguir transar. Já parou para tentar entender o que aconteceu? É possível que, por trás da ausência de rigidez, estivesse o “desejo de intimidade”: você talvez quisesse carinho, aceitação e conchego, mais do que uma boa transa. Acontece. Carências, tristezas ou sentimentos doces em relação à parceira costumam provocar esse tipo de vontade – ou desvontade, dependendo de como se olhe.
Os homens lidam especialmente mal com isso. Para nós, a possibilidade de sexo não realizada é uma broxada, ponto. Palavra devastadora que esconde uma dezena de situações diferentes. Talvez nos faltem outras palavras para lidar com isso, outras ideias. Como “desejo de intimidade”. Se o sujeito puder perceber que está mais ternura do que tesão, mais abraço do que penetração, tem a chance de negociar uma “trégua” com a parceira. Quem sabe ela também não adora a ideia?
Isso nos leva a outra vantagem da nova abordagem, o uso da palavra. Ao contrário do sexo puro e simples, que tende (pelo menos no início das relações) a ser mudo, o “desejo de intimidade” é um estado que permite conversar. Demanda conversa, na verdade. Acho que muitas vezes nos falta isso: colocar os sentimentos na mesa, como eles se apresentam no momento, em vez de seguir a contragosto (ou no piloto automático) um roteiro pré-programado de procedimentos sexuais. Temos inibições em conversar, mas não deveríamos.
Falando, a moça do sofá poderia explicar, sem embaraços, que os amassos estão bons, mas que ela, naquele momento, não gostaria de ir mais longe. “Desejo de intimidade”, sabe como é. O garanhão enternecido poderia fazer o mesmo: definir os limites da sua situação emocional com a parceira, usando uma linguagem que não o envergonhe e nem faça com que ela se sinta indesejável. O “desejo de intimidade” talvez ajude.
Há algo de cômico e pretensioso na ideia de inventar uma expressão nova para definir situações e sentimentos tão velhos que, provavelmente, já foram detectados e nomeados uma centena de vezes - mas não importa. O essencial é apontar a importância de nos livrarmos das convenções e dos automatismos quando se trata da nossa intimidade. O essencial é ter coragem de falar, de se colocar, ainda que os sentimentos do momento pareçam estar muito fora da caixa. O essencial, eu acho, é evitar que os desencontros de corpos e sentimentos nos magoem e nos afastem desnecessariamente.
Há muita vergonha, muito ressentimento e muito pouca conversa quando se trata da nossa intimidade. Falemos uns com os outros, portanto.

domingo, 27 de novembro de 2011

Chagas do abandono...

É interessante observar o ser humano!Vejo pessoas que foram abandonadas por seus parceiros, amigos, amores...Como sofrem! Será a falta ... o vazio que fica? Penso não ser apenas isto!

Geralmente quando alguém nos deixa é sinal que não nos quer mais... ficamos tristes, choramos e aguardamos por um bom tempo que este alguém  volte...
Mas... o que nos leva a querer de volta quem não nos quer mais???
Posse, baixa auto estima, achar que nunca mais vai achar alguém ...solidão...comodismo...ou pior... infantilidade... ?????

Existem maneiras de  enfrentar esta situação. Podemos chorar a perda por um tempo, enterrar nosso  " defunto" e já sair à "caça" ou dar chance a outra pessoa...Isto é ser maduro. Mas há pessoas que passam boa parte da vida em " velório"  pela perda, carregando um peso enorme(o falecido) nas costas se culpando por se sentir responsável por tudo...ou infantilmente dando "piti"  por não admitir ser rejeitado...

É comum alguns adoecerem... como que usando a si próprios para castigar  quem os rejeitou , preocupam a família, amigos e o pior é que muitas vezes gastam a vida inteira assim e não conseguem perceber que na realidade, que quem o abandonou não foi só o outro... foi ele mesmo...

É preciso amadurecer para entender que se seu " corpo " abriu em chagas... Não culpe ninguém... reflita e comece a resolver as " chagas do auto abandono" ... comece a se amar.. pois na maioria das vezes... o vilão da história é você mesmo!!!!!!!!!!

Angela Cifani

É só acreditar...

Isto, se aprender com os erros ...

Vale refletir...

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

FELICIDADE REALISTA - Marta Medeiros

Em princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.
Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.
E quanto ao amor? Ah, o amor.. não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.
É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.
Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.
Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado.E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno.
Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.
Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo.

Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça de que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade...

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Podemos , pelo menos, tentar....


Quando você conseguir superar
graves problemas de relacionamentos,
não se detenha na lembrança dos momentos difíceis,
mas na alegria de haver atravessado
mais essa prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde,
não pense no sofrimento
que foi necessário enfrentar,
mas na bênção de Deus que permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida,
as coisas boas que surgiram nas dificuldades.
Elas serão uma prova de sua capacidade,
e lhe darão confiança diante de qualquer obstáculo.

Uns queriam um emprego melhor; outros, só um emprego.
Uns queriam uma refeição mais farta; outros, só uma refeição.
Uns queriam uma vida mais amena; outros, apenas viver.
Uns queriam pais mais esclarecidos; outros, ter pais.
Uns queriam ter olhos claros; outros, enxergar.
Uns queriam ter voz bonita; outros, falar.
Uns queriam silêncio; outros, ouvir.
Uns queriam sapato novo; outros, ter pés.
Uns queriam um carro; outros, andar.
Uns queriam o supérfluo; outros, apenas o necessário.

Há dois tipos de sabedoria: a inferior e a superior.
A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe
e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.

Tenha a sabedoria superior.Seja um eterno aprendiz na escola da vida.
A sabedoria superior tolera, alivia, perdoa...
A inferior, julga,  culpa, condena...
Tem coisas que o coração só fala para quem sabe escutar!

sábado, 22 de outubro de 2011

Sabedoria...

                                              Sabe porque Shrek é o melhor conto de fadas?
         Porque ensina que ninguém precisa ser perfeito
         para ter um final feliz. ♥

      * Não escolha a pessoa mais bonita ,
         escolha a pessoa que faz do seu mundo,
         o mais bonito!...

terça-feira, 18 de outubro de 2011

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Mensagem especial... Acredite !!!

Escrito por Regina Brett, com apenas 90 anos de idade, assina uma coluna no The Plain Dealer, Cleveland, Ohio.

"Para celebrar o meu envelhecimento, certo dia eu escrevi as 45 lições que a vida me ensinou."

1. A vida não é justa, mas ainda é boa.
2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno .
3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém.
4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão.  Permaneça em contato.
5. Pague mensalmente seus cartões de crédito.
6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar.
7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho.
8. Pode ficar bravo com Deus. Ele suporta isso.
9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.
10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.
11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente.
12. É bom deixar suas crianças verem que você chora.
13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles.
14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele.
15. Tudo pode mudar num piscar de olhos Mas não se preocupe; Deus nunca pisca.
16. Respire fundo. Isso acalma a mente.
17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre.
18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte.
19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais.
20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta.
21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use roupa chic. Não guarde isto para uma ocasião especial.Hoje é especial.
22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo.
23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir roxo.
24. O órgão sexual mais importante é o cérebro.
25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você..
26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras 'Em cinco anos, isto importará?'
27. Sempre escolha a vida.
28. Perdoe tudo de todo mundo. (perdoar é deixar de sofrer por algo...não conviver)
29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta.
30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo..
31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará.
32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso.
33. Acredite em milagres.
34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez.
35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora.
36. Envelhecer ganha da alternativa -- morrer jovem.
37. Suas crianças têm apenas uma infância.
38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou.
39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares.
40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos nossos mesmos problemas de volta.
41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa.
42. O melhor ainda está por vir.
43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça.
44. Produza!
45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.”

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Refletindo....



‎''A vida não consiste em ter boas cartas na mão e sim em jogar bem as que se tem.'' (...)

domingo, 9 de outubro de 2011

Só tem mulher quem pode, segundo Veríssimo:

" Tenho apenas um exemplar em casa que mantenho com muito zelo e dedicaçao, mas na verdade acredito que é ela quem me mantêm.
Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância.
É coisa de homem sim, e se não receber de você vai pegar de outro.
Beijos matinais e um eu te amo no café da manhã as mantêm viçosas e perfumadas durante o dia."

terça-feira, 4 de outubro de 2011

MUDANÇAS... ouvi esta música e achei linda!

Hoje eu vou mudar, vasculhar minhas gavetas , jogar fora sentimentos e ressentimentos tolos...

Fazer limpeza no armário, retirar traças e teias, angústias da minha mente.
Parar de sofrer por coisas tão pequeninas.
Deixar de ser menina e ser mulher.
Hoje eu vou mudar , por na balança a coragem ,me entregar no que acredito para ser o que sou sem medo ...dançar e cantar por hábito e não ter cantos escuros pra guardar os meus segredos...parar de dizer não tenho tempo pra vida que grita dentro de mim... me libertar...
(Declamado) Hoje eu vou mudar... sair de dentro de mim e não usar somente o coração,
Parar de contar os fracassos , soltar os laços e não perder as amarras da razão ....voar livre com todos os meus defeitos para que eu possa libertar os meus direitos e não cobrar desta vida nem rumos e nem decisões.
Hoje eu preciso e vou mudar.
Dividir no tempo e somar no vento todas as coisas que um dia sonhei conquistar porque sou mulher como qualquer uma , com dúvidas e soluções, com erros e acertos amores e sabores...
Suave como a gaivota e felina como a leoa, tranquila e pacificadora mas ao mesmo tempo irreverente e revolucionária ,
Feliz e infeliz , realista e sonhadora , submissa por condição mas independente por opinião porque sou mulher com todas as incoerências que fazem de nós o forte sexo fraco...

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Refletindo...


Quando se quer aquilo que é do outro ...
E não procura por aquilo que é seu...
Acaba ficando sozinho!!!

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

TODO HOMEM DEVE LER!!!!!!... Por Arnaldo Jabor

"É melhor você ter uma mulher engraçada do que linda, que sempre te acompanha nas festas, adora uma cerveja, gosta de futebol, prefere andar de chinelo e vestidinho, ou então calça jeans desbotada e camiseta básica, faz academia quando dá, come carne, é simpática, não liga pra grana, só quer uma vida tranqüila e saudável, é desencanada e adora dar risada...Do que ter uma mulher perfeitinha, que não curte nada, se veste feito um manequim de vitrine, nunca toma porre e só sabe contar até quinze, que é até onde chega a sequência de bíceps e tríceps.
Legal mesmo é mulher de verdade. E daí se ela tem celulite? O senso de humor compensa.
Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira. Pode até ser meio mal educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas e daí?
Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução. Mas ainda não criaram um remédio pra FUTILIDADE!!"

"E não se esqueça...Mulher bonita demais e melancia grande, ninguém come sozinho!!"



.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

·          Os tristes acham que o vento geme ,
   Os alegres acham que ele canta ...
   O mundo é como um espelho que devolve o reflexo  de seus próprios pensamentos .
   A maneira como você encara a vida faz toda diferença .

domingo, 28 de agosto de 2011

Xô, tristeza!!!!!

Quase todo mundo um dia se sentiu triste...Na maioria das vezes , se pensar bem, acha o motivo...
Agora... e quando sentimos uma tristeza enorme... que dói no peito , aperta a garganta ... pesa na cabeça...???Tem gente que se sente incomodado com seu jeito anuado , chega e diz para pensar em tantas pessoas que não têm nada, sofrem de males terríveis , perdas irreparáveis(detesto estes argumentos)... mas a tristeza em você continua...Sabe, incomoda todo mundo... talvez pelo medo de ficar triste também...entre outras coisas...
Aí, vai uma sugestão...Quando a tristeza bater sem motivo... dê um tempo a ela... certamente a sensação de FALTA não definida se "olhada", "atendida" pode te ensinar a se conhecer melhor, aceitar fraquezas, e principalmente o que mais nos incomoda__a estranha sensação de INCOMPLETUDE ... sim __temos uma incompletude natural... nostálgica...
Dizem as más línguas, que o umbigo é um sinal de Deus que temos um buraco, um vazio particular. Penso que é para treinarmos a humildade, generosidade... conhecimento. Este periodo de " ensimesmamento "(você consigo mesmo) nos faz fortes pois aprendemos que por mais que tudo dê certo na vida, que controlemos sentimentos e vitórias, de sermos amados .... ainda temos uma falta.
Quando ela chegar em seu coração, não tente empurrá-la para alguém ou buscar um culpado... Dê um forte e gostoso abraço na tristeza e mostre a ela que apesar de ter muitos defeitos que você não gosta , tem também inúmeras qualidades , conseguindo assim o equilíbrio...
Nos amarmos apesar de tudo, aceitarmos nossas fraquezas... crescermos__ é um santo remédio para a melancolia...

domingo, 14 de agosto de 2011

Ser PAI....

Pai de verdade mesmo sabe que ser pai não é simplesmente recolher o fruto de um momento de prazer, mas sim perceber o quanto pode ainda estar verde e ajudá-lo a amadurecer.

Ele não acusa de erros e nem sempre aplaude os acertos, mas pergunta se houve percepção dos caminhos que levaram o filho a esses fins

Pai de verdade mesmo não só ergue o filho do chão quando ele cai, mas também o faz perceber que a cada queda é possível levantar.

Ele não quer que o filho tenha tudo que ele não teve, mas que tenha tudo aquilo que merecer e realmente desejar... fizer por merecer.
Ele é o farol que aponta para um caminho da honestidade e do Bem.

Feliz dia dos Pais!
Angela

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Reflexão




Não tiro ninguém da minha vida...
Apenas reorganizo as posições ...
E inverto as prioridades...

YES!!!!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Refletindo...

Insistir naquilo que já não existe,
é como calçar um sapato que não te cabe mais!
Machuca, causa bolhas,
chega à carne viva e sangra.
Então melhor é ficar descalço.
Deixar livre o coração, enquanto vive...
Deixar livre os pés , enquanto cresce...
Porque quando a gente cresce ...
o número muda!"

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Culpa

Culpa é um sentimento cultivado pela sociedade que impede o desabrochar da pessoa para a felicidade.
A culpa fecha o coração para o amor...
O querer tudo perfeito , geralmente  a raiz da crise, nos afasta do crescimento e da ousadia.
É bom saber lidar com os erros, as quedas, incompetências e fracassos sem se culpar, usando-os como alavanca para novos vôos e uma vida mais significativa e feliz...

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Dia do Amigo

     
              Cada  pessoa que passa em nossa vida é única.
              Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.
              Há os que levaram muito, mas não há os que não deixaram nada.
              Esta é a maior responsabilidade de nossa vida e a prova evidente
             de que duas almas não se encontram por acaso"
              FELIZ DIA DO AMIGO!
              

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Enfrentando a verdade...

"Aos poucos a verdade despe as roupagens de seda com que a mentira se cobre...deixando-a nua diante de nossos olhos...
Então , devagar choramos pois a ilusão era bela mas prejudicial em todos os sentidos...

Se os pedaços de seda ficaram entre seus dedos cabe a você decidir o que fazer com trapos inúteis que estragam uma vida inteira."



sábado, 18 de junho de 2011

Quem é o seu *amante*?

" Muitas pessoas tem um *amante *e outras gostariam de ter um. Há também as que não tem, e as que tinham e perderam". Geralmente, são essas últimas que vem ao meu consultório, para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insônia, apatia, pessimismo, crises de choro, dores etc.
Elas me contam que suas vidas transcorrem de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar seu tempo livre.
Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente perdendo a esperança. Antes de me contarem tudo isto, elas já haviam visitado outros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: "Depressão", além da inevitável receita do anti-depressivo do momento. Assim, após escutá-las atentamente, eu lhes digo que não precisam de nenhum anti-depressivo; digo-lhes que precisam de um *AMANTE*!!!
É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem meu conselho. Há as que pensam: "Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa dessas"?!
Há também as que, chocadas e escandalizadas, se despedem e não voltam nunca mais.
Aquelas, porém, que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico o seguinte:
"*AMANTE*" é aquilo que nos "*apaixona*", é o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono, é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir. *O nosso "AMANTE* " é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.
Às vezes encontramos o nosso "*AMANTE"* em nosso parceiro. Também podemos encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente, na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto....
Enfim, é *"alguém!"* ou *"algo" **que nos faz *"namorar a vida"* e nos afasta do triste destino de *"ir levando"!..*
*E o que é "ir levando"? **É ter medo de viver. *É o vigiar a forma como os outros vivem,* é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante, observar decepcionado cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o sol ou com a chuva. Ir levando é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje, fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão, de que talvez possamos realizar algo amanhã*.
Por favor, não se contente com *"ir levando";* seja também um *amante* e um protagonista *... DA SUA VIDA!*
Acredite: O trágico não é morrer, afinal a morte tem boa memória, e nunca se esqueceu de ninguém. O trágico é desistir de viver... Por isso, e sem mais delongas, procure algo para amar...
A psicologia após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:
"PARA ESTAR SATISFEITO, ATIVO E SENTIR-SE JOVEM E FELIZ, É PRECISO NAMORAR A VIDA".

(Jorge Bucay - *Psicólogo*)

domingo, 5 de junho de 2011

Conto de fadas para mulheres do séc. 21

Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã aflita que pulou para o seu colo e disse:

- Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas uma bruxa má lançou-me um encanto terrível transformando-me nesta rã asquerosa.
Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo.
A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos feliiiiiiiiiiiiiiiiiizes para sempre...

E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã , acompanhadas de um cremoso molho com cogumelos suiços, batata sautée e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava:
- Nem fo. den. do!

(Luís Fernando Veríssimo)










terça-feira, 24 de maio de 2011

Refletindo...1



É muito interessante o medo que boa parte das pessoas têm de CRESCER...

Engraçado! O Ser ... Energia que nos fez... deixou bem claro que isto era condição primordial para nos mantermos VIVOS...

Bom, a grosso modo, nascemos pequeninos e junto com o corpo vamos crescendo....

Uns escolhem crescer pagando o preço de cada aparada em suas inúmeras arestas..com dor, coragem, choro, verdade, desprendimento ...  mas continuam vivendo...crescendo_ cada vez mais fortes!

 Outros, preferem crescer de graça...fazendo de conta que está tudo bem...reclamando...cobrando...fugindo, esperando que alguém pague por eles... usam a fragilidade, chantagens  e pseudo bondade para serem carregados ... continuam sobrevivendo_ cada vez mais frágeis!

A mola propulsora para a vida é o AMOR....

Uns se amam muito , lutam por esse direito ... vivem  da REALidade...

Outros se amam muito pouco, delegando a "alguém" esta árdua tarefa de fazê-los feliz__uns tolos...vivem de ILUSÃO...

Angela Cifani

sábado, 21 de maio de 2011

Sabedoria


Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância..

Solidão é muito mais do que isto.

"Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e...
                              procuramos em vão pela nossa alma"

Francisco Buarque de Holanda



sábado, 7 de maio de 2011

COLOCADO NA PORTA DE UM CONSULTÓRIO...


O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda demais quando a insatisfação e o medo de perder apertam.
O corpo emagrece demais quando somos controladores e vingativos
A dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam.
O coração enfarta quando chega a ingratidão
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A coluna sente as mágoas vistas pela baixa auto estima e prepotência
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
Os dentes acabam triturando nossas cobranças da vida.
Destruimos o útero quando não aceitamos como vivemos em nossa casa... mágoas
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As pedras no rim, visícula, aparecem com os medos da vida...dificuldades ...
As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.

quinta-feira, 17 de março de 2011

O tempo não perdoa... passa

“Nunca guardes nada à espera de uma ocasião especial pois cada dia que vivemos, é uma ocasião especial”.
Leia mais, dedique menos tempo à limpeza da casa.  Admire a paisagem, sem reparar se o jardim tem ou não ervas daninhas.
Pare de sofrer pelo amor que se foi... o tombo que levou...
Passe mais tempo em companhia da sua família e dos seus amigos, e bem menos tempo trabalhando para os outros. Entenda que a vida é um conjunto de experiências para serem apreciadas e não sobrevividas.

Use os copos de cristal todos os dias. Vista roupas novas para ir fazer compras no supermercado, se estiver com vontade de vesti-las.Não guarde o melhor frasco de perfume para as festas especiais, mas use quando quiser sentir a sua fragrância.

Procure tirar do seu vocabulário as frases “um dia...” e “um dia destes...”, já que o que vale a pena ver e ouvir é agora. Pense no que você poderia ter feito, se soubesse que não haveria amanhã, o mesmo “amanhã” que todos nós levamos tão pouco a sério.

Talvez poderia ter chamado os velhos amigos para se desculpar, para fazer as pazes pelos mal entendidos do passado...Talvez ter ido degustar o seu prato preferido naquele restaurante que tanto gostava...Abraçar os bons amigos que “um dia destes” reencontraria. Dizer aos seus filhos e irmãos, com suficiente frequência, o quanto os ama.

Procure não retardar, esquecer, ou conservar, algo mais que poderia acrescentar sorrisos de felicidade e alegria à sua vida.
Entenda que “assim que tiver um tempinho” ou “um dia destes” poderá demorar muito ou nunca chegar...

Hoje é um presente ... aproveite-o... é todo seu!

sexta-feira, 11 de março de 2011

Encerrando ciclos

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação?Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração - e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Nesta vida não existem cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.